23/12/2020

Gelson Luiz Dal Ri avalia gestão à frente do Sindicont

Gelson Luiz Dal Ri avalia gestão à frente do Sindicont

Estamos vivendo um período de mudanças e transformações que evidencia a importância do papel do contador. Nas últimas décadas, várias profissões tiveram mudanças profundas na forma de trabalhar, mas a contabilidade talvez seja a mais afetada, exigindo que o contador busque conhecer e acompanhar as novas tecnologias. Neste ano, com a pandemia da Covid-19, os profissionais da área foram fundamentais para auxiliar as empresas com ações e planejamento estratégico para superar a crise. Nesse cenário, o Sindicato dos Contabilistas de Chapecó (Sindicont) também teve papel importante, trazendo cursos, capacitações e lives para contribuir com atualização profissional e troca de experiências entre os profissionais.

Neste ano, a diretoria 2019/2020 do Sindicont encerra sua gestão. O presidente Gelson Luiz Dal Ri faz uma avaliação dos trabalhos e fala sobre os desafios da profissão.

O senhor encerra o mandato como presidente do Sindicont Chapecó. Qual sua avaliação desse período?

Gelson Luiz Dal Ri - Fazer parte da diretoria do Sindicont sempre foi muito importante. Como presidente foi ainda mais gratificante, um aprendizado para toda a vida. Nestes dois anos, o Sindicont promoveu diversos cursos, participou de várias entidades do município, através de representantes da diretoria, buscou uma aproximação maior junto aos órgãos públicos municipal, estadual e federal, facilitando, assim, a vida dos associados.

Quais foram as principais conquistas do Sindicont?

Gelson Luiz Dal Ri - O Sindicont, sendo uma entidade que sempre manteve os pés no chão, assim como em outros mandatos, manteve os investimentos e os bens. Conseguimos nos manter com a mensalidade dos associados e também com a venda da certificação digital, o que aumentou nossos investimentos. Estamos trabalhando para construirmos, no futuro, a nova sede da entidade.

Como o senhor avalia a participação dos associados nas ações do Sindicont?

Gelson Luiz Dal Ri - Os associados são peças fundamentais para a entidade. Sem eles não teríamos razão em continuar o trabalho. Sempre tivemos uma ótima participação, seja nos eventos, nos cursos, nas capacitações e nas ações sociais que promovemos durante os 24 anos do Sindicont.

De que maneira pode-se envolver mais os profissionais e empresários em todos os municípios de abrangência do Sindicato?

Gelson Luiz Dal Ri - Neste ano, a pandemia da Covid-19 de certa forma distanciou um pouco o envolvimento de profissionais e de empresários contábeis. Não foi possível fazer cursos presenciais e outros eventos da classe contábil. Para envolver mais os profissionais, creio que ações presenciais sejam mais eficientes. Retomaremos assim que possível.

Quais são os benefícios de participar e se associar ao Sindicont?

Gelson Luiz Dal Ri - O associado do Sindicont tem diversos benefícios, como a participação em cursos direcionados aos profissionais, com valores diferenciados do mercado. Também mantemos convênios com uma variada lista de profissionais e empresas da área da saúde, que oferecem um desconto considerável em seus serviços e produtos. Além disso, o ganho no crescimento pessoal e profissional que se tem ao participar de uma entidade, com a troca de experiências e conhecimento entre os associados.

O Sindicato promove regularmente atividades voltadas à realização de eventos beneficentes. As entidades devem priorizar a responsabilidade social?

Gelson Luiz Dal Ri - O Sindicont sempre realizou eventos beneficentes. Não é nossa prioridade enquanto entidade de classe, mas entendemos que contribuir com a sociedade é fundamental para termos um mundo melhor. Alguns exemplos do que já fizemos são doações para o Centro de Educação Infantil Municipal (CEIM) Nova Vida, no distrito de Marechal Bormann, em Chapecó, campanhas de doação de sangue, adesão ao Programa Infância Saudável do CRC/SC e a promoção do projeto Contabilidade para Acadêmicos. Neste ano também estamos apoiando o Portal Social da Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC).

Um dos focos da entidade é a qualificação dos profissionais e uma das ações nesse sentido são os cursos do Projeto Educação Continuada, além dos eventos promovidos pelo Núcleo de Estudos Contábeis Chapecó (NECC). Qual a sua avaliação desses dois anos?

Gelson Luiz Dal Ri - Até o fim de 2018 tínhamos uma participação grande do Conselho Regional de Contabilidade (CRC/SC), o qual organizava, buscava os profissionais e bancava os custos dos mesmos, inclusive despesas de viagens. A partir de 2019 fomos forçados e trabalhar com a Educação Continuada de outra forma, juntamente com a Federação dos Contabilistas do Estado de Santa Catarina (Fecontesc), a qual busca os profissionais e oferece aos Sindiconts uma lista de cursos, que escolhemos com base nas necessidades da região e oferecemos aos associados. Em 2020, tivemos, infelizmente, a Covid-19 que nos obrigou a mudar mais uma vez a maneira de oferecermos nossos cursos e eventos, sendo de forma on-line, os quais no início foram bem aceitos, porém, com o tempo, tivemos cada vez menos participantes. Percebemos, assim, que os profissionais preferem os cursos presenciais, obtendo maior aproveitamento e ensinamento.

Por que é tão necessário buscar qualificação e profissionalização nos dias atuais?

Gelson Luiz Dal Ri - A busca de qualificação sempre foi fundamental para a permanência do profissional no mercado. Nos dias de hoje essa busca se tornou ainda mais importante, pois os órgãos públicos, os quais temos que prestar informações, alteram constantemente as leis e tarefas que o profissional deve fazer e cumprir.

Com o avanço da tecnologia, o que mudou no cenário da contabilidade?

Gelson Luiz Dal Ri - Cada vez mais temos que nos adaptar a ela, caso contrário ficaremos obsoletos. Devemos nos aprimorar para termos nossas empresas contábeis cada vez mais digitais, eliminando papéis, desocupando espaços, para termos no futuro maior facilidade na elaboração dos trabalhos prestados a todos os empresários.

Este ano foi atípico, com a pandemia. Para a classe contábil, quais estão sendo os principais desafios? O que se pode esperar de 2021?

Gelson Luiz Dal Ri - Os principais desafios foram os de buscar uma nova alternativa, de não pararmos com a Educação Continuada, o que foi possível, através dos diversos cursos on-line que fizemos durante o ano. Para 2021, esperamos que a pandemia esteja controlada para que possamos retomar nossos cursos presenciais, aproximando cada vez mais os profissionais da classe contábil. Além disso, foi um ano desafiador, com todos tendo que se adaptar a novas formas de trabalhar e com legislações mudando constantemente para atender pedidos das empresas durante a pandemia. Como contadores, tivemos que entender rapidamente as mudanças para auxiliar os empreendedores nesse período, contribuindo para que os negócios não parassem e se reinventassem para superar a crise.

Na sua opinião, quais as perspectivas para o profissional contábil nos próximos anos?

Gelson Luiz Dal Ri - Nossas perspectivas são grandes, pois tenho a certeza que o País se desenvolverá, aumentando consideravelmente o número de empresas, trazendo, assim, ainda mais trabalho e um ótimo futuro a todo profissional da contabilidade.

E para a economia em geral?

Gelson Luiz Dal Ri - Acredito que o Brasil, um País de trabalhadores, encontrará logo à frente uma luz que trará esperança para todo o povo brasileiro, fazendo com que a economia cresça ainda mais do que em anos anteriores ao evento da pandemia.

Sindicont - Sindicato dos Contabilistas de Chapecó

Av. Getúlio Vargas, 1403-N . Sala 208
Edifício Dom Ricardo - Centro
Chapecó - Santa Catarina
CNPJ: 01.661.831/0001-77

Desenvolvido por BRSIS